• Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Bem vindos ao sítio do Núcleo de Hospital Universitário da UFMS

INFORMATIVO FARMÁCIA

E-mail Imprimir PDF

Assunto:  Estabilidade após diluição LEVOSIMENDANA  (SIMDAX®)

Informamos que a estabilidade do medicamento LEVOSIMENDANA (SIMDAX® F/A 5 mL 2,5 mg/mL) é de apenas 24 horas após diluição em SG 5%, e por se tratar de um medicamento de alto custo, sugerimos que a diluição e velocidade de infusão seja calculada para  24 horas de modo a evitar desperdício do medicamento.

Confira aqui o informativo na íntegra

 

Este informativo encontra-se também no ícone "Serviço de Farmácia Hospitalar"

 

Setor de Ergometria divulga informes do segundo semestre de 2014

E-mail Imprimir PDF

Drª Maria José descerra placa com a benfeitora, Drª Caroline Santos Pereira

O Serviço de Ergometria do HUMAP/EBSERH publicou um artigo na Revista do DERC (Departamento de Ergometria, Exercício e Reabilitação Cardiopulmonar da Sociedade Brasileira de Cardiologia), em sua quarta edição deste ano, com o relato de caso denominado “Coronárias tortuosas como etiologia de infradesnivelamento do segmento ST na fase tardia do TCPE”.

O artigo foi coordenado pelo Dr. Leandro Steinhorst Goelzer, responsável pelo Setor de Ergometria do HUMAP / EBSERH, e contou com as valiosas participações de colegas cardiologistas da cidade: Dr. Eduardo Conceição Reigota, Dr. Sérgio Augusto Monteiro Pinheiro e Dr. Divino Antonio Luiz Júnior, bem como da R2 cardiologia Dra. Samara Cebalho Sales (Hospital do Coração de Mato Grosso do Sul) e da R1 cardiologia Dra. Marcela Estival de Araújo Souza (HUMAP / EBSERH).

A Revista do DERC teve nesta publicação uma tiragem de 11.400 exemplares e é distribuída gratuitamente aos sócios do DERC e da SBC em todo o Brasil, podendo também ser acessada via portal da SBC (http://departamentos.cardiol.br/sbc-derc).

 

Leia aqui o artigo na íntegra

 

HUMAP inaugura novo Ambulatório de Ortopedia e Traumatologia

E-mail Imprimir PDF

Drs Hélio Mandetta e Arthur Figueiredo descerram a placa com a benfeitora

Em um novo anexo no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP), o Ambulatório de Ortopedia e Traumatologia já está pronto para receber pacientes. A inauguração do complexo aconteceu na última terça-feira, 18 e contou com a participação de médicos, residentes, funcionários de vários setores e profissionais que já atuaram no Hospital. Quase quatro décadas dedicadas ao HUMAP, Dr° Arthur Figueiredo esteve na inauguração e relembrou os primeiros atendimentos realizados na ortopedia “Várias vezes eu e outros médicos trouxemos pacientes para o hospital em nosso próprio carro. Hoje podemos dizer que esse complexo é uma conquista para todos nós. Nossa luta para atender melhor os pacientes vem desde o início e me sinto lisonjeado por participar desta inauguração”, destacou Figueiredo.

O histórico do HU também foi ressaltado pelo Dr° Hélio Mandetta que enfatizou as dificuldades na década de 70, quando o hospital foi inaugurado  “Para chegar até essa conquista, passamos por muitas dificuldades, mas sempre colocando o paciente em primeiro lugar. Hoje estamos colhendo o que foi plantado lá atrás”, finalizou ao parabenizar a nova administração pela conquista. Segundo o Superintendente do HUMAP, Dr Cláudio Saab, o novo complexo é só o início das melhorias do hospital “ Ainda tem muita coisa a se fazer, muitas obras estão sendo finalizadas, tudo para melhorar o atendimento do Hospital Universitário”, concluiu.

Estiveram presentes também na inauguração os Drs° Luis Henrique Mandetta,Aurélio Ferreira e o Capelão do HUMAP, Edilson Reis.

Estrutura - O novo prédio de 207 m² conta com quatro consultórios, sala de gesso e procedimento, além de auditório com 30 lugares e recepção com banheiro para portadores de necessidades especiais. O Ambulatório presta atendimento, nas patologias ortopédicas, para pacientes que não apresentam casos de urgência por meio de consultas médicas.

 

title=
width=
width=

 

Dr Cláudio, Luis Henrique Mandetta e residentes de ortopedia

 

HU inaugura Ambulatório de Ortopedia e Traumatologia

E-mail Imprimir PDF

Drª Maria José descerra placa com a benfeitora, Drª Caroline Santos Pereira

O Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian inaugura, na próxima terça-feira, 18, o Ambulatório de Ortopedia e Traumatologia, às 08 horas. O novo prédio de 207 m² conta com quatro consultórios, sala de gesso e procedimento, além de auditório com 30 lugares e recepção com banheiro para portadores de necessidades especiais. O Ambulatório presta atendimento, nas patologias ortopédicas, para pacientes que não apresentam casos de urgência por meio de consultas médicas. No Ambulatório, os pacientes são avaliados, recebem a indicação de tratamento e são acompanhados após a alta hospitalar.

 

HUMAP cadastra servidores para brigada de incêndio

E-mail Imprimir PDF

A Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian está cadastrando servidores para fazerem parte da Brigada de Incêndio do HUMAP. Os voluntários serão responsáveis pela segurança do local em caso de sinistro e receberão treinamento do Corpo de Bombeiros. O treinamento acontece nos próximos meses e irá abordar o combate a incêndio, conhecimento da rota de fuga, como pedir socorro em caso de sinistro e correto manuseio dos equipamentos de segurança, tais como extintor e hidrante.O objetivo é preparar pessoas para atuarem em situações emergenciais, identificando produtos perigosos e reconhecendo seus riscos ou prestando os primeiros socorros, visando preservar a vida e o patrimônio. Será cadastrada uma turma de voluntários para cada período: matutino, vespertino e noturno.

Os interessados devem se inscrever pelos ramais 3306 ou 3333, falar com Luciany.

 

Banco de Leite Humano do HUMAP mantêm classificação na categoria Ouro

E-mail Imprimir PDF

O Banco de Leite Humano do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian manteve este ano o Certificado de Excelência em Bancos de Leite Humano, Categoria Ouro, reconhecido pelo Ministério da Saúde. O setor, que é referência no Estado, recebeu a certificação pela primeira vez em 2013. O certificado é concedido pelo Programa Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, com patrocínio da Coordenação Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, desenvolvido pela Fundação Osvaldo Cruz

Para atingir o reconhecimento, alguns requisitos são avaliados, como a estrutura física do setor, os equipamentos utilizados para a coleta, resfriamento e pasteurização do leite, além da qualificação dos profissionais. Segundo a nutricionista do HU, Elisabete Kamiya, a garantia da coleta do leite humano, armazenamento, pasteurização e distribuição são disciplinados pela Vigilância Sanitária. “Desta forma, só participam do processo de credenciamento os Bancos de Leite cujo funcionamento está autorizado pelos órgãos competentes, o que é o nosso caso”, avalia Kamiya

Segundo a gerente administrativa do Hospital Universitário, Maria José Maldonado, a premiação incentiva a trabalhar ainda mais pelo setor  “o reconhecimento não apenas nos deixa orgulhosos, como traz também o compromisso de continuar trabalhando para melhorar este serviço, ampliando a capacidade de atendimento para beneficiar um número maior de crianças”, afirmou. Centro de Referência Estadual, o Banco de Leite Humano do HU é responsável pela supervisão, capacitação e assessoramento de todos os outros Bancos de Leite de Mato Grosso do Sul, que também foram reconhecidos com a certificação padrão Ouro em 2013 e 2014.

Importância do Banco de Leite

Em funcionamento desde 1995, o Banco de Leite do Hospital Universitário tem 46  doadoras cadastradas. O leite materno doado é utilizado na alimentação dos bebês prematuros internados. A iniciativa tem o objetivo de auxiliar as mães que possuem alguma dificuldade na produção do leite ou até mesmo que não o produzem. Para que os bebês não fiquem sem alimento, os bancos de leite buscam incentivar as mulheres em fase de amamentação a doar.

 

Ambulatório de Andrologia do HUMAP atende pacientes com disfunção sexual

E-mail Imprimir PDF

width=

O Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian está recebendo pacientes para tratamento de disfunções sexuais masculinas. Desde maio deste ano, o Ambulatório de Andrologia, sob supervisão do médico responsável, Dr Peterson Viera de Assis, tem atendido casos de disfunção erétil e distúrbios da ejaculação, anorgasmia, dispareunia e outros. O atendimento aos pacientes acontece todas as segundas-feiras, período matutino, no ambulatório do hospital e as consultas são marcadas por encaminhamento do Sistema Nacional de Regulação (Sisreg).

As disfunções sexuais masculinas podem afetar o desejo sexual ou alterar as respostas psicológicas e fisiológicas do corpo frente aos estímulos sexuais, causando sofrimento e insatisfação ao paciente. Segundo Dr Peterson de Assis, as disfunções podem ter causas orgânicas, ou seja, desencadeadas por doenças cardiovasculares, metabólicas e diabetes ou as causas podem ser psicológicas, geradas por ansiedade, depressão, fadiga e estresse.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 30% da população mundial masculina sofre de disfunção erétil, popularmente conhecida como impotência sexual. No Brasil, em torno de 11 milhões de homens sofrem com alguma disfunção sexual, o que já é considerado problema de saúde pública no país. A dificuldade de ter ereção não afeta apenas os homens mais velhos, mas também os jovens.

Tratamento - Como a disfunção erétil não é doença que necessita obrigatoriamente de tratamento específico, a modalidade de tratamento desejada, idade e condições clínicas devem ser consideradas. “Para obter o diagnóstico, o médico urologista irá se basear em dados do histórico pregresso da doença e exame físico”, esclareceu Peterson Vieira de Assis. De acordo com o médico, durante a consulta, são avaliados fatores de risco e antecedentes familiares, além disso, a avaliação laboratorial básica inclui medidas de testosterona, glicemia de jejum e perfil lipídico. “O objetivo inicial do diagnóstico é distinguir a origem da disfunção erétil para início imediato do tratamento”, avaliou o urologista.

 


Página 1 de 24